Institucional

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE KUNGFU / WUSHU

Wushu, mais conhecido no Ocidente como Kungfu, é um termo chinês que se refere à arte marcial chinesa. Como competição é dividido em duas modalidades: taolu (sequência de movimentos com fundamentos marciais) e combate (luta).

Taolu é sub-divido em tradicional e moderno. Tradicional, pois o conhecimento é milenar, transmitido seguindo uma filosofia, de mestre para discípulo e tem como objetivo o aperfeiçoamento individual e a saúde. E moderno, pois se refere a esporte de alto rendimento, adaptado pela República Popular da China após a revolução cultural buscando tornar-se modalidade olímpica.

O combate também é sub-divido em sanda (luta que utiliza técnicas de socos, chutes e projeções) e shuai jiao (faz uso somente de projeções, sem luta no solo).

A entidade que controla o wushu no mundo, é a International Wushu Federation (IWUF). Com sede em Beijing, foi fundada na década de 90, e hoje já conta com 148 países membros.

O Brasil, através da CBKW, tem contribuído muito para o desenvolvimento do Wushu na América do Sul e como ações pontuais recebeu, em 2010, o presidente da Chinese Wushu Associantion – CWA (que regulamenta o Wushu na China) e uma delegação, composta por 20 atletas de reconhecimento internacional, para uma turnê de demonstração da modalidade no país.

Em 2011, como mais um fruto desta parceria, enviou também técnicos chineses para a capacitação de atletas e professores e para a preparação da seleção brasileira que representou o Brasil no 11th World Wushu Champioship, realizado em julho de 2011 em Ankara, Turquia. Além disso, no início de 2012 a CWA doou para a Confederação Brasileira de Kungfu / Wushu (CBKW) uma área oficial de treinamento e competição para taolu.

E, em 2012, recebeu a visita de uma comitiva chinesa que contou com a ilustre presença do Sr. Xiao Tian, Vive-Ministro de Esportes e também Vice-Presidente do Comitê Olímpico Chinês. O propósito da visita foi reforçar a relação de cooperação bilateral entre a Confederação Brasileira de Kungfu Wushu e a Chinese Wushu Association dando sequência no projeto para fomento e desenvolvimento da modalidade no Brasil e na América, além da participação em reuniões com autoridades do esporte brasileiro para abordar a possibilidade da entrada do Wushu nos Jogos Panamericanos.

CBKW foi fundada em 1992 e já conta com 25 estados brasileiros filiados. Promove torneios nacionais e treinos/seletivas para compor os times que representarão o Brasil em competições internacionais, sul-americanas, pan-americanas e mundiais. A entidade é, desde 2000, vinculada ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e é um dos países membros fundadores da IWUF e da Pan American Wushu Federation (PAWF) e da Federación Suramericana de Wushu (FESUWU).

Olimpíadas - O wushu tem chance de ser incluído no programa olímpico em 2020. Durante uma reunião do Conselho Executivo do COI realizada em julho de 2011, em Durban, África, foi fechada a “short list”, uma lista de oito esportes estão na disputa para tornar-se modalidade olímpica. Caso o wushu seja selecionado, a CBKW será a entidade brasileira responsável por montar o time que representará o país nas modalidades taolu moderno e sanda.

A Confederação Brasileira enviou atletas para as Olimpíadas de Pequim, em 2008, quando o wushu participou como modalidade de demonstração. Um torneio aconteceu no mesmo período do Jogos e contou com a participação de três atletas brasileiros: Emerson Almeida e Ariana Ortega nas disputas de sanda e Adriano Lourenço, no taolu.

O wushu é modalidade oficial dos Jogos Asiáticos, desde 1990.

Confederação Brasileira de Kungfu / Wushu: www.cbkw.org.br

Mais informações: Departamento de Comunicação – Marina Lana (marinalanac@hotmail.com)