Relatório Final 11th World Wushu Championships

Mundial da Turquia

Campinas, 24 de outubro de 2011.

Prezados Presidentes e Diretores,

Como é de conhecimento de todos, aconteceu, entre 06 e 15 de outubro de 2011, em Ankara, na Turquia, o 11º Campeonato Mundial de Wushu. A seguir passamos a relatar alguns itens que consideramos de relevância para nosso trabalho na CBKW.

Panorama

Este foi o maior mundial de todos os tempos, no que se refere à quantidade de atletas e ao nível técnico apresentado por estes durante as competições. Ficou claro que muitos países estão apostando que o Wushu se tornará modalidade oficial no Programa Olímpico de 2020. Sendo assim, estão investindo muito para o desenvolvimento do Wushu em seus respectivos países e regiões. A cada edição do Mundial, a melhora do nível técnico dos atletas é nítida. O
esporte evolui a passos largos.

Relatório do Mundial da Turquia

Mundial da Turquia

A ação da CBKW em solicitar técnicos chineses faz parte de uma tendência mundial. Vários países e regiões, que estão entre os melhores do mundo, contam hoje com auxílio técnico de especialistas chineses. Este é o caso do Iran, Turquia, Filipinas, Singapura, India, Malásia, Hong Kong, Chinese-Taipei, Indonésia, Japão, Coréia, Egito, Itália, França entre outros.

Podemos citar como exemplo o caso da Federação do Iran, que contrata técnicos chineses já há 5 anos. Hoje o país conta com 4 profissionais chineses e chega a investir cerca de USD$150.000,00 por ano só no salário destes técnicos.

Nosso objetivo é continuar trabalhando seriamente para criar uma boa estrutura e tentar chegar próximo desta realidade. Temos que encarar o fato de que sem investimento financeiro, infelizmente, não conseguiremos brigar por medalhas. O desenvolvimento de qualquer esporte, dentro de um país, se dá graças a uma ação conjunta de todas as partes envolvidas: dirigentes, atletas, governo e sociedade. Com o Wushu não é diferente.

Trabalho e Resultados

A Seleção Brasileira de Kungfu Wushu retornou da Turquia no dia 17 de outubro e trouxe na bagagem muita experiência. A nossa delegação foi formada por 33 integrantes, sendo: 12 oficiais, 18 atletas e 3 observadores.

Atletas participantes do Mundial da Turquia

Atletas participantes do Mundial da Turquia

O clima entre todos os integrantes da delegação durante o Mundial estava muito bom. Todos os atletas do grupo representaram muito bem o Brasil. Todos lutaram até o último momento, demonstrando raça e transpondo seus próprios limites para garantir o melhor resultado ao nosso país. Certamente o trabalho realizado durante todo o ano, e que culminou com a vinda dos técnicos chineses, rendeu bons resultados. O primeiro deles, sem dúvida, foi a integração da equipe e a valorização dos atletas e equipe técnica.

Equipe Técnica

O ano de 2011 foi um ano de muito trabalho para todos os integrantes da equipe técnica da CBKW. O estabelecimento do Plano Diretor veio dar suporte ao grande esforço conjunto que vem sendo realizado para o estabelecimento de critérios internacionais de trabalho. Destacamos o Sr. Paulo Sakanaka, Sr. João Ferreira e Sr. Thomaz Chan que trabalharam
incessantemente na disciplina de treinamento dos atletas de Taolu, e o Sr. João Guedes que juntamente com o Sr. Antônio Silva se dedicaram à equipe de Sanda. Estes contaram com o suporte do trabalho de condicionamento físico realizado pelo Sr. Rafael Uliani e de fisioterapia da Sra. Paula Souza.

Essa equipe, com o objetivo de melhorar ainda mais o trabalho realizado nesse ano, contou com a colaboração de dois técnicos chineses Prof. Lü Shaojun (Taolu) e Prof. Zhang Chengming (Sanda). Os dois professores, da Universidade de Esportes de Beijing, foram enviados pela Chinese Wushu Assiciation – CWA e durante quarenta dias puderam acompanhar os atletas da seleção e conhecer um pouco melhor a realidade do esporte no Brasil. Com certeza a
integração da equipe técnica, diretoria e atletas foi um fator decisivo na obtenção dos resultados desse Mundial.

Equipe Sanda

Na equipe de Sanda destacamos aqui os 3 atletas que ficaram em 5° Lugar:

  • Jeronimo Marana, categoria até 56Kg que derrotou Ukrania na primeira luta e Egito na segunda, perdendo para o atleta de Chinese-Taipei na terceira luta;
  • Josimeire Custódio, categoria até 60Kg, que perdeu para a China nas quartas de final após ter derrotado a atleta da Rússia nas oitavas;
  • Ana Fatia, categoria até 56Kg, que perdeu para a atleta de Filipinas nas quartas de final após ter derrotado a atleta da India nas oitavas;

Além destes, tivemos a participação do experiente atleta Edson Gonçalves “Caveira”, que já na primeira luta enfrentou o atual campeão mundial, o chines Chen Yanzhao, na categoria acima de 90Kg, perdendo por pontos.

Vale ressaltar que 4 atletas da equipe de Sanda participaram pela primeira vez em um mundial, são eles: Edineía Camargo - até 48Kg; Aglenio Alves - até 60Kg; João Oliveira - até 70Kg e Daniel Dionísio - até 80Kg.

Equipe de Taolu

O nível técnico dos atletas de taolu do Brasil vem crescendo ano após ano e a melhora no desempenho neste mundial foi notável. Muitos atletas que não atingiam notas acima de 9,00 em Mundiais conseguiram superar esta marca:

  • Henrique Tiba: 9,19 no Gunshu;
  • Luiz Carlos Nascimento: 9,35 Daoshu;
  • Margareth Sako: 9,05 em Nandao;
  • Maximilian Jokiti: 9,01 em Jianshu;
  • Roque Neto com a nota de 8,62 no Taijijian;
  • Samara Gomes com a nota 9,24 no Daoshu, obtendo o 9° lugar. E 9,05 em Changquan;
  • Tania Sakanaka que obteve 8,07 no TaijiJian;
  • Adriano Lourenço: 9,66 no Nangun, além de 9,53 no Nanquan e 9,56 no Nandao;
  • Marcelo Yamada : 9,66 no Nangun, além de 9,54 no Nanquan e 9,54 no Nandao;

A regularidade destes dois últimos atletas fez com que eles ficassem em 6° e 7° lugares, respectivamente, considerando as categorias Olímpicas (Nanquan+Nangun) deixando pra trás vários atletas medalhistas em outras edições de Mundiais, no Combat Games e no 2008 Beijing Wushu Tournament (Jogos Olímpicos de Beijing).

O desempenho apresentado pelos nossos atletas neste mundial nos dá a esperança de, num futuro próximo, poder brigar por uma medalha em Taolu, coisa que até pouco tempo atrás parecia impossível.

(O relatório técnico detalhado com os resultados gerais do 11º Campeonato Mundial pode ser
conferido no link: http://www.11thwwc.com/en/scores/)

A CBKW está investindo na melhora do nível técnico dos nossos atletas e da mesma forma também está apoiando e investindo na capacitação de nossos árbitros, por isso gostaríamos de destacar que essa foi a primeira vez em que o Brasil teve dois árbitros internacionais atuando em um Campeonato Mundial. Foram eles: Sr. Rodrigo Carazzato e Sra. Paula Amidani. Prova de reconhecimento e credibilidade no nosso trabalho.

Foi definido em reunião com membros da Pan American Wushu Federation que o 9° Campeonato Panamericano de Wushu será realizado de 26 a 28 de julho, na cidade de Monterrey, no México.

Fica aqui, em nome de toda a diretoria da CBKW, o agradecimento a todos os dirigentes que integraram o Comissão Técnica da Seleção Brasileira de Kungfu Wushu, todos eles, sem exceção, foram incansáveis, trabalharam arduamente e demonstraram muito profissionalismo.

Atenciosamente,

Marcus Vinicius F. Alves
Presidente da CBKW

Kao Chiantou
Vice Presidente da CBKW

Chefes da Delegação Brasileira de Kungfu Wushu no 11thWWC